MENU

Depoimentos de mulheres que venceram o câncer de mama

por • 30 de outubro de 2020 • SocialComentário (0)143

Você pratica o autocuidado e o autoexame da mama?
O câncer de mama é o tipo de tumor mais frequente em mulheres no mundo e no Brasil. Além do autoexame, que deve ser feito por mulheres e homens de toda as idades, é fundamental que mulheres acima de 50 anos realizem mamografia de rastreamento, mesmo sem perceber algum nódulo ou sintoma. 

A causa Outubro Rosa, dedicada ao combate ao câncer de mama, é importante não apenas neste mês como em todos os outros do ano. Para fortalecer ainda mais as ações de conscientização, nossos colaboradores nos concederam depoimentos sobre suas experiências próximas com o câncer de mama durante o mês de outubro e compartilhamos com você.

“Sempre ouvimos histórias que fulano está com câncer, até na minha profissão (psicóloga) atendia pessoas que estavam passando por esse momento, mas quando é com alguém que você ama, você perde o chão. Não sei expressar em palavras o que senti na hora que recebemos o resultado, sabíamos que existia a possibilidade de ser câncer, mas nem por um minuto pensei nisso. Conversei muito com ela, esclareci também as dúvidas do meu pai, que na hora tentava se manter forte. Quando eu vi a minha base fragilizada, percebi que chegou a vez de ajudar e fazer algo para minimizar o impacto de tudo que envolvia esta enfermidade. Minha mãe é muito forte, não é de demonstrar, se mantém na plenitude. Querer ver ela bem me deu forças e sei que isto ajudou e ainda ajudará ela!”

– Micelane Corrêa Jacinto, profissional do departamento de recursos humanos.


“Em 2016, meu tio deu de presente para minha avó uma cirurgia plástica reparadora. Nos exames pré-operatórios foi identificado o câncer de mama. A partir disto ela deu início ao tratamento. Apesar de ser uma senhora moderna com a mente aberta, por descuido ela deixou de ir ao ginecologista por uns anos. Eu recebi a notícia quando estava no trabalho, foi um choque muito grande. Ela lá no RS e eu aqui em SC sem poder abraçá-la para dar apoio. Nosso contato foi sempre via telefone, ela passava tanta segurança que isto deixava todos mais calmos. Não pude visitá-la durante o tratamento, mas mantive contato direto por ligação, vídeo. A minha avó é o nosso alicerce, ela é a pessoa mais forte da família no sentido e amor, compaixão. É aquela pessoa que sempre está de bem com a vida. Por ser muito positiva foi ela quem nos deu força no fim das contas. O que ficou de lição para nós é o autocuidado, sem falar na positividade em encarar as circunstâncias da vida!

– Gabriele S. Ribas Weber, profissional do setor jurídico. 


Exemplos como o da Neide e Luiza servem como inspiração de autocuidado, coragem e perseverança. Independente da idade, condição física e gênero, o câncer de mama não é um momento de despedida. É uma doença que precisa ser diagnosticada com antecedência, acompanhada e que pode ser curada em mais de 90% dos casos. 

Cuide-se, conheça seu corpo. Pratique o autoexame de mama!

 

Voltar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *