MENU

Casa Cor SP 2016

por • 6 de julho de 2016 • Decoração, Diversos, EventosComentário (0)2115

A EMBRAED esteve presente na CASA COR SP, a maior mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas. Este ano o evento acontece do dia 17 de maio à 10 de julho. Nossa Designer de interiores Rosane Gonçalves foi conferir de pertinho e fez algumas fotos que vamos compartilhar abaixo com vocês.

Segundo Rosane, a força da natureza estava muito presente na mostra. Folhagens reais, materiais naturais e sensoriais nos ambientes. Os painéis personalizados também estão em alta – para todos os gostos, em vários estilos. Além de uma profusão de obras de arte originais, como uma obra da Tarsila do Amaral na sala de estar Hot Spot!. O que sobressaiu na mostra foram itens únicos, sensualidade, harmonia, minimalismo, texturas clássicas, edições limitadas e valorização de artesanato local. Confira abaixo alguns ambientes.

Concebida pelos arquitetos catarinenses Moacir Jr e Salvio Moraes, a sala de estar Hot Spot! é um convite ao receber contemporâneo. Baseado em ambientes parisienses e nova-iorquinos – refletidos no layout, com o uso de boiseries e na escolha de materiais como o metal -, o living é composto por um mobiliário de curvas, que aproxima as pessoas que o frequentam. A cor preta proporciona conforto e calor, reforçados pelo uso de lâminas de madeiras queimadas no revestimentos das paredes.

9551687e-1ad8-47c5-9041-a0e70ce47d21

aa6bca0c-00a8-4a6f-81ad-19bb7bf51555

d5687c50-5878-4be5-8c4a-c24c078c2e60

Se o assunto é festejar, então até o banheiro ganhou uma apresentação especial devido aos 30 anos da mostra. “Fizemos um banheiro com o clima do público, chique, como uma festa de gala”, explica o arquiteto Fábio Bouillet, que, junto a Rodrigo Jorge, projetou um ambiente unisex. Um amplo espelho reflete tanto o jardim com galhos secos e pedras, aplicado em frente à bancada de mármore, quanto o grande painel de madeira, com detalhes em dourado, formado pelas portas das cabines, sobre o porcelanato escuro.

Para quem entra, o biombo vazado de madeira esconde e ao mesmo tempo revela de forma sutil quem está ali.

O protagonista deste loft de 43m² é um banco multifuncional de concreto que percorre todo o perímetro do espaço. Ao entrar, serve como chapelaria, depois, como aparador, prateleira, banco de mesa de jantar e apoio de lenha de lareira. “Pensei num apartamento de um viajante, uma pessoa prática, com muitos amigos”, descreve o arquiteto Nildo José. A paleta de cor varia entre o cinza, o rosé, o preto e o nude da madeira canadense, que vai do piso sem rodapés até parte da parede, dando a sensação de continuidade e amplitude.

Elementos que trazem praticidade ao dia a dia são o mote deste projeto, condizente com o perfil do morador fictício.

A elegância foi o ponto de partida para a criação do living glamouroso com ares de biblioteca de Roberto Migotto. Não é para menos. Os 30 anos da CASA COR coincidem com as três décadas de carreira do arquiteto. Por isso, o nome do seu espaço também remete à década de 1930, tempo do emblemático designer francês Jean-Michel Frank. “Ele é um ícone e seu trabalho é atemporal”, descreve Migotto. A partir dessa inspiração, o veterano, junto ao sócio Ricardo Minelli, desenvolveu um ambiente contemporâneo, com tons de nude e uma atmosfera relaxante. A maioria dos móveis, de linhas curvas, faz parte da nova coleção do arquiteto, lançada na própria mostra.

0ff93179-77c9-44a0-9e75-bfa861b23571

3a557e55-62f2-4863-8489-ea792483ba94

3a11097a-a852-4dc1-aa5e-4e0702dea41c

3ae23acb-3202-4dcc-a63b-6f79e0ca4057

A marcenaria luxuosa e a mesa Érea dá as boas-vindas a quem entra.

30a625c6-d215-4fa2-bf62-52a00b11975d

099abf28-89da-4994-8911-a32d394cf86c

9114bc35-ff2c-430b-a65c-ed706c77f9a6

807937c4-747b-43ed-9a96-0ecd1d7df90c

O glamour da década de 1930 está presente nos tons de nude e nas diversas peças do mobiliário

cdd44f38-57fb-4fb7-b46a-bd096d1ad8a6

fa6fbdcd-1fd3-419f-b5c2-55dda84eee35

bc5bd0fb-1485-4a28-a288-e6361d64833c

Yamagata Arquitetura. Paloma Yamagata, Aldi Flosi e Bruno Rangel compõem o time de arquitetos da Yamagata Arquitetura. Para esta edição da mostra, o trio se inspirou na tradicional arquitetura japonesa. Shoji são os painéis ou portas de correr de papel translúcido da cultura oriental. Todo o ambiente faz alusão a essa estrutura nipônica usada como referência para a concepção de volume do projeto, refletida, principalmente, pela madeira que organiza o espaço, ao mesmo tempo em que permite a entrada da luz. a cor branca nas lajes de concreto, elementos industriais e paredes patinadas pela ação do tempo permeiam quarto, cozinha, banheiro e as salas de estar e jantar.

Thiago Manarelli e Ana Paula Guimarães. As cores em tons leves, como rosa seco e verde-água, são inspirações de uma viagem recente a Estocolmo. A mescla entre diferentes elementos, como as peças de antiquário e obras de arte contemporânea, traz aconchego ao ambiente, dando a sensação de que o morador possui muitas histórias. A opção por inserir plantas naturais, como jasmim-manga, e a poltrona de vime, que é mais característica em locais externos, cria um diálogo interessante no espaço. “É um trabalho de garimpo e mistura”, resume Manarelli.

Foi através da observação do trabalho da fotógrafa americana Francesca Woodman – conhecida pelas fotos femininas em preto e branco – que o arquiteto Osvaldo Tenório se inspirou para criar sua sala de estar. As paredes e o piso originais do Jockey Club foram mantidos, servindo de base para uma eclética decoração, composta por mobiliário italiano, peças de desenho autoral do arquiteto e obras de arte, como um painel de jacarandá de Joaquim Tenreiro e fotos de Mario Cravo Neto e Yuri Seródio.

A ideia do projeto de Leo Romano é contar como seria a sensação de uma pessoa quenão enxerga, dentro de um ambiente. “É uma celebração aos sentidos”, descreve o arquiteto goiano. Os painéis de alumínio microperfurados envelopam teto e paredes, com o dizer “Lembrem-se de esquecer”, inserindo o visitante no universo do braile. O tato também é despertado com texturas diversas, acompanhado por gradações da cor rosa, tanto na decoração, quanto nos móveis – muitos deles, pertencentes à nova coleção desenhada por Romano e batizada de Bailarina.

O estilo escandivo e uma paleta de tons suaves desenham o Living dos Amigos, onde a atmosfera de conforto e aconchego predomina. “A questão sensorial era importante, por isso, trouxe a natureza de fora pra dentro”, explica Alexandra Tobler. Para criar um clima de oásis urbano, a profissional montou uma parede verde de suculentas, escolheu um lustre de cristal de rocha e recorreu às memórias afetivas para pontuar o décor, como brinquedos antigos garimpados em brechós.

Clarisse Reade, Adriana Pereira e Carolina Reade – “Elaboramos uma sala multiuso, onde as pessoas podem conversar, trabalhar e ler um bom livro”, explica Clarisse. Sem televisão, o ambiente privilegia o encontro e o descanso, por isso as cores foram pensadas para trazer aconchego. O tom azul tinge as paredes e também a grande estante de livros, envolvendo o espaço em um clima acolhedor. No décor, linhas clássicas, como peças do interior da França, e design contemporâneo compõem um mix elegante.

“Quero criar uma estética que fosse contemporânea e, ao mesmo tempo, desse a liberdade para a melhor decoração possível”. Esse foi o ponto de partida para a designer de interiores Marina Linhares projetar o espaço Deca, com 200m² e sete ambientes. Com o conceito em mente, a profissional trouxe referencias da histórica escola de Bauhaus, ao utilizar linhas retas e grandes vãos, além de materiais como madeira, aço e vidro. Dentre as peças de design, destaque para o lançamento do misturador assinado por Jader Almeida para a Deca, o mobiliário contemporâneo de Claudia Moreira Salles e o modernista Flávio de Carvalho.

Guilherme Torres – A cozinha proposta pelo arquiteto é a protagonista da casa e apresenta nova tecnologias de maneira sutil, como na bancada de Corian, que oculta a pia e a máquina de lavar e que também funciona como armário. Já a mesa de inox comporta um sistema de cocção por indução, dispensando o uso do fogão. E a geladeira também aparece reconfigurada, onde as próprias embalagens gelam, congelam ou refrescam os produtos.

a668ec63-bbf9-4e1d-a3ac-ae10b8716d06

Textos dos ambientes retirados do Anuário Casa Cor São Paulo 2016.

Voltar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *